Snowden pede à ONU medidas de proteção à privacidade

Snowden pede à ONU medidas de proteção à privacidade

Snowden disse não se arrepender de sua ações. "Há coisas que não devem mudar em breve, mas valeu a pena", afirmou

O Estado de S. Paulo

01 de dezembro de 2014 | 17h28

Edward Snowden, vencedor do Right Livelihood Award, conhecido como "Nobel alternativo", pediu que a Organização das Nações Unidas (ONU) proponha novas medidas para proteger a privacidade individual e os direitos humanos. Durante cerimônia de entrega do prêmio no Parlamento da Suécia nesta segunda-feira, o ex-analista da Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA, na sigla em inglês) falou por meio de um vídeo online.

O prêmio reconhece "o trabalho de tantas pessoas, não apenas nos últimos anos", mas em décadas, afirmou Snowden. Ele disse que só podia aceitar a premiação coletivamente. O ex-analista compartilhou a honra com o editor do jornal The Guardian, que publicou uma série de artigos sobre vigilância realizada pelo governo americano baseado em documentos entregues por Snowden. O montante de US$ 210 mil do prêmio foi dividido com os ativistas de direitos humanos paquistaneses Asma Jahangir e Basil Fernando e com o comissário de Direitos Humanos da Ásia e ambientalista americano Bill McKibben.

Snowden, que permanece exilado na Rússia após vazar documentos da NSA para jornalistas em 2013 e enfrentar acusações do governo americano que poderiam levá-lo a 30 anos de prisão. Ele disse que não se arrepende de sua ações. "Há coisas que não devem mudar em breve, mas valeu a pena", afirmou. "Todos os preços que pagamos, todos os sacrifícios que fizemos, eu acredito que nós faríamos de novo", acrescentou. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
ONUSnowdenprivacidade

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.