Snowden solicita renovação de asilo temporário na Rússia

Advogado do ex-funcionário da NSA diz ter esperança de resolver assunto até sexta-feira, quando termina o atual asilo do americano

O Estado de S. Paulo

31 de julho de 2014 | 11h08

MOSCOU - O ex-funcionário da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA, na sigla em inglês), Edward Snowden, solicitou a renovação de seu asilo temporário na Rússia, país ao qual chegou no dia 23 de junho de 2013 em um voo procedente de Hong Kong, anunciou nesta quinta-feira, 31, seu advogado, Anatoli Kucherena.

O asilo de Snowden, considerado foragido pelos EUA por ter revelado detalhes sobre o esquema de espionagem do serviço secreto americano, termina na sexta, 1º de agosto. "Tenho grande esperança de que este assunto seja solucionado hoje ou amanhã. Se não for resolvido, esclareceremos a situação", disse o advogado.

Segundo Kucherena, a última palavra é do Serviço Federal de Imigração (FMS, na sigla em russo). O porta-voz do FMS se negou a comentar o caso, alegando que é uma informação confidencial.

Embora nos últimos meses a imprensa tenha sugerido a possibilidade de Snowden deixar a Rússia com destino a outro país, como o Brasil, Kucherena já tinha antecipado sua intenção de prolongar por um ano a estadia do cliente na Federação Russa. O advogado ressaltou que a segurança de Snowden continua sendo um problema, motivo pelo qual o ex-analista da CIA não pode fazer aparições públicas.

Segundo a legislação russa, o asilo temporário, que se concede por um ano, pode ser prorrogado um número ilimitado de vezes se não forem modificadas as circunstâncias que motivaram sua outorga.

O ex-agente da NSA chegou ao aeroporto de Moscou de Sheremetievo no dia 23 de junho de 2013 com a intenção de ir para algum país latino-americano, mas foi obrigado a permanecer na zona de embarque internacional, de onde pediu asilo a 21 países.

Quatro países latino-americanos ofereceram asilo - Equador, Bolívia, Nicarágua e Venezuela -, mas, diante da impossibilidade de viajar, Snowden ficou na Rússia, que lhe concedeu asilo.

Snowden, que é acusado pelos EUA de espionagem e traição, encontrou trabalho na Rússia no setor da tecnologia da informação, embora por motivos de segurança seu paradeiro seja mantido em segredo. /EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Edward SnowdenRússiaEUAespionagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.