Só a democracia vence o terrorismo, alerta Zapatero

O presidente do governo espanhol, Luis Rodríguez Zapatero, criticou duramente a invasão americana do Iraque, afirmando que décadas de luta antiterrorista em seu país lhe ensinaram que esse flagelo se combate com meios legais, e não com "guerras preventivas". "Trinta anos resistindo ao terrorismo nos ensinaram que o maior risco de uma vitória dos terroristas pode ocorrer quando, durante a luta contra o terror, a democracia trai sua própria essência, os Estados limitam as liberdades, questionam as garantias judiciais ou realizam operações militares preventivas", afirmou Zapatero durante seu discurso na Assembléia-Geral das Nações Unidas. "Foi isto o que meu povo aprendeu; que é com a legalidade, a democracia e a política que somos mais fortes e eles, mais débeis", acrescentou. Horas antes, durante uma entrevista coletiva, o líder espanhol classificou a luta contra o terrorismo como "um objetivo comum de toda a ordem mundial" e propôs uma aliança entre as civilizações ocidental e árabe para evitar que "um novo muro de ódio divida o mundo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.