Suliman el-Oteify/AP
Suliman el-Oteify/AP

'Só impacto externo' pode ter causado queda de avião russo, diz companhia

Diretor geral da Kogalimavia, empresa responsável pelo avião russo que caiu no sábado, 31, descarta falha técnica ou humana

O Estado de S. Paulo

02 de novembro de 2015 | 09h37

SÃO PETERSBURGO - A companhia aérea Kogalimavia, responsável pelo avião que caiu no sábado, 31, no Egito, disse que uma falha técnica ou um erro humano não podem ter causado o acidente. De acordo com o diretor geral da Kogalimavia, Alexander Smirnov, a causa do desastre "só pode ter sido um impacto externo no avião."

"Tudo indica que desde o começo da catástrofe a tripulação perdeu o controle total do avião", disse Smirnov numa coletiva de imprensa. Ele também afirmou que os pilotos não tentaram entrar em contato por rádio com os controladores aéreos em terra. Questionado sobre que tipo de impacto poderia ter provocado a queda, Smirnov disse que não tinha liberdade para discutir os detalhes enquanto a investigação estiver em andamento.

O comentário de Smirnov aumenta a possibilidade de que a queda do avião, que matou 224 pessoas, tenha sido um ataque do Estado Islâmico (EI). Ainda no sábado, apenas algumas horas após o acidente, uma milícia afiliada ao EI no Egito afirmou em um comunicado divulgado nas redes sociais que foi a responsável por derrubar o avião com os passageiros russos.

A península do Sinai, onde o avião caiu, é local de insurgência de militantes que apoiam o Estado Islâmico. Os rebeldes mataram centenas de soldados e policiais egípcios e também atacaram alvos ocidentais nos últimos meses. Ao mesmo tempo, a Rússia lançou recentemente ataques aéreos contra grupos de oposição síria, incluindo o Estado Islâmico, o que poderia motivar o ataque de sábado./ AFP e Reuters

 

Tudo o que sabemos sobre:
avião russoatentadoestado islâmico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.