Sob condição, bens de Miranda poderão ser examinados

Um tribunal do Reino Unido decidiu que o governo britânico pode explorar os itens apreendidos do brasileiro David Miranda, contanto que o material seja examinado por "motivos de segurança nacional".

AE, Agência Estado

22 Agosto 2013 | 10h52

Miranda namora o norte-americano Glenn Greenwald, um dos jornalistas para os quais o ex-agente dos EUA Edward Snowden revelou documentos secretos sobre espionagem cibernética praticada pelos Estados Unidos, incluindo a governos de países parceiros.

No domingo, autoridades britânicas confiscaram computadores, cartões de memória e outros itens eletrônicos de Miranda, quando ele foi detido e interrogado durante nove horas no aeroporto de Heathrow. A ação da polícia foi feita com base na lei de combate ao terrorismo do país europeu.

Os advogados de David Miranda disseram que os itens apreendidos contêm informações confidenciais e pediram ao Supremo Tribunal que impeça que o governo "inspecione, copie ou compartilhe os dados".

Em vez disso, o tribunal deverá permitir que o governo explore os itens na

condição de que o material seja examinado por "motivos de segurança nacional". A

liminar deve ficar em vigor até 30 de agosto.

Não ficou imediatamente claro se o tribunal ou o governo deve ser autorizados a decidir o que é do interesse da segurança nacional. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
reino unidoespionagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.