Sob pressão, Irã propõe estender inspeção da ONU

Ministro diz a inspetores da agência atômica que podem permanecer por mais tempo para verificar instalações sob suspeita

TEERÃ, O Estado de S.Paulo

31 de janeiro de 2012 | 03h06

O governo do Irã propôs ontem que inspetores da ONU permaneçam por mais tempo no país para investigar seu programa nuclear. A oferta foi feita pelo ministro das Relações Exteriores iraniano, Ali Akbar Salehi, que participava de uma cúpula na Etiópia, em meio à crescente pressão internacional sobre a república islâmica. Ontem, a União Europeia oficializou o embargo ao petróleo iraniano, anunciado na semana passada.

Integrantes do alto escalão da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) desembarcaram no Irã no domingo para uma visita de três dias. O objetivo, segundo o chefe dos inspetores, o belga Herman Nackaerts, é resolver "todas as questões que seguem em suspenso" sobre o programa atômico iraniano.

Segundo a imprensa de Teerã, os inspetores devem entrar na usina de Fordo, construída secretamente sob uma montanha nas cercanias da cidade sagrada de Qom. Nunca inspetores estiveram na instalação.

Esta é a primeira visita da AIEA ao Irã desde que a agência atômica da ONU publicou seu mais duro relatório sobre as ambições iranianas, em novembro.

Ontem, o governo da Índia deu más notícias a europeus e americanos, que tentam impor um amplo embargo ao petróleo iraniano. O ministro indiano das Finanças, Pranab Mukherjee, garantiu que seu país não reduzirá a compra de óleo de Teerã. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.