Sob pressão Karzai, amplia poder de órgão anticorrupção

O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, ampliou os poderes do Alto Escritório Anticorrupção, órgão interno destinado a combater fraudes. O decreto marca "um passo muito importante em nossos esforços na luta contra a corrupção e o suborno em nosso país", disse Karzai aos jornalistas após assinar o documento em seu palácio.

AE, Agencia Estado

18 de março de 2010 | 18h31

A instituição já recebeu muitas acusações de ser impotente e indiferente em relação aos seus objetivos. Depois de Karzai ter assinado publicamente um decreto estendendo sua autoridade, o Alto Escritório Anticorrupção do Afeganistão agora terá permissão para investigar acusações de corrupção. "Isso dá mais poder à unidade de Osmani. Eu desejo sucesso a ele", disse o presidente, referindo-se ao chefe do órgão, Mohammad Yasin Osmani.

Karzai está sob forte pressão de seus apoiadores ocidentais, que o mantém no poder para combater a endêmica corrupção em todos os níveis da vida afegã, incluindo o processo eleitoral que o reelegeu no ano passado para um segundo mandato.

Osmani saudou o decreto presidencial dizendo que seu escritório agora tem mais poder para lidar com funcionários corruptos. "Não tínhamos uma série de poderes. Agora, depois que o presidente assinou este decreto, recebemos algumas autoridades legais, o que significa que nossos funcionários têm autorização para agir, em alguns casos, como promotores", disse ele. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.