Sobe a 116 o número de cadáveres encontrados em valas no México

Autoridades acreditam que corpos são de vítimas de chacina promovida pelo cartel Los Zetas

Associated Press

12 de abril de 2011 | 18h34

MÉXICO - A polícia do México encontrou mais 28 cadáveres em valas clandestinas no Estado de Tamaulipas, no norte do país, que poderiam ser resultado de uma chacina produzido pelo cartel Los Zetas, informaram nesta terça-feira, 12, autoridades mexicanas. Com a descoberta, sobe a 116 o número de corpos encontrados supostamente relacionados ao crime.

 

A procuradora-geral Marisela Morales informou à imprensa que nas últimas foram encontradas novas valas logo após a detenção de um suspeito de envolvimento no crime, identificado como Jony Torres Andrade, mais conhecido como La Sombra. Até agora, já são 17 os detidos por suspeita de envolvimento com a matança. O número de corpos, segundo a imprensa mexicana, porém, é ainda maior - 128. As autoridades, porém, não comentaram a cifra.

 

"Hoje confirmamos que foram achados os corpos de 116 pessoas mortas como produto de ações criminosas, em princípio atribuídas ao grupo Los Zetas", disse a procuradora. Até o momento, apenas dois desses corpos foram identificados - um mexicano e um guatemalteco.

Até então, as autoridades haviam descoberto 88 cadáveres em 14 valas em San Fernando, no Estado de Tamaulipas, mesmo local onde em agosto de 2010 foi registrada a chacina de 72 imigrantes centro e sul-americanos. As vítimas faziam parte de um grupo de 76 pessoas que tentavam entrar nos EUA quando foram sequestradas.

 

Mais de 37 mil pessoas morreram no México desde que o presidente Felipe Calderón iniciou sua política de tolerância zero no combate ao narcotráfico e enviou o Exército para lutar contra os cartéis. A situação coloca em xeque a imagem do país norte-americano como um dos principais destinos turísticos do mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.