Eliseo Fernández / Reuters
Eliseo Fernández / Reuters

Sobe a 12 número de mortos em incêndio em Valparaíso, no Chile

Itamaraty envia nota de pesar a país vizinho pela tragédia em cidade costeira

O Estado de S. Paulo,

14 de abril de 2014 | 10h14

SANTIAGO - O ministro do Interior do Chile, Rodrigo Peñailillo, aumentou esta noite para 12 o número de mortos pelo incêndio em Valparaíso, que também obrigou a presidente Michelle Bachelet a suspender a viagem oficial que tinha previsto realizar para a Argentina no dia 15.

Em um pronunciamento à imprensa na sede do governo regional de Valparaíso, Peñailillo atualizou os números oficiais da catástrofe, que arrasou 850 hectares, destruiu mais de 2.000 casas e deixou sem casa cerca de 8.000 pessoas.

Cerca de 1.500 bombeiros e brigadistas das equipes de emergência lutam para controlar os novos focos de incêndio.

Pela segunda noite consecutiva, os seis albergues criados de maneira urgente na cidade, situada a 120 quilômetros a oeste de Santiago, voltarão a acolher 1.200 pessoas que perderam sua casa e nem sequer têm onde passar a noite.

Pesar. Em nota, o Itamaraty afirmou que o governo recebeu com consternação a notícia do incêndio que atinge a cidade desde o último sábado.

"Ao solidarizar-se com as famílias das vítimas e com o governo e o povo chilenos, o governo brasileiro expressa profundo pesar pelas perdas humanas e materiais", diz o texto. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
ChileValparaíso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.