Al Behrman/AP
Al Behrman/AP

Sobe a 37 número de mortos em tempestades nos EUA

Série de ciclones violentos atingiu pequenas cidades no Estado de Indiana e também várias comunidades rurais em Kentucky

Agência Estado,

03 de março de 2012 | 14h52

Texto atualizado às 23h19

 

Já são 37 os mortos em uma série de tempestades violentas que atingiram pequenas cidades no Estado de Indiana e comunidades rurais em Kentucky, nos Estados Unidos. As autoridades locais temem que o número de mortos possa aumentar à medida que as buscas por sobreviventes avancem.

As fortes tempestades ocorridas na maioria das cidades ao longo dos Estados de Indiana e Kentucky foram previstas por meteorologistas durante dias e provocaram dezenas de tornados, enquanto avançaram da Costa do Golfo para os Grandes Lagos.

Os ciclones destruíram blocos inteiros de casas, linhas de celulares, telefonia fixa e energia, além de arremessar carros, ônibus escolares e caminhões, deixando as estradas intransitáveis devido aos escombros. A escala de devastação e a amplitude das tempestades tornou a imediata avaliação da extensão total da destruição quase impossível.

No Estado do Kentucky, a Guarda Nacional e a polícia estadual buscam entre os destroços um número desconhecido de desaparecidos. Em Indiana, as autoridades do condado procuram estradas que ligam as comunidades rurais que, segundo funcionários, "desapareceram completamente".

 

Previsão

 

Novas tempestades violentas são esperadas na região para a noite deste sábado, informou o porta-voz do Departamento de Administração de Emergências do Estado do Kentucky, Buddy Rogers. "Ficamos sempre mais preocupados com tempestades que ocorrem durante a noite, porque as pessoas não conseguem ver sua aproximação", afirmou Rogers.

Ele disse, entretanto, que a população já havia sido alertada para essa nova série de tempestades após os tornados que atingiram partes dos dois Estados na quarta-feira passada, quando oito pessoas foram hospitalizadas sem ferimentos graves.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.