Sobe número de corpos mutilados na fronteira do México

Monterrey, 13 - Os corpos decapitados e mutilados de 49 pessoas foram encontrados neste domingo à beira de uma estrada que liga a cidade de Monterrey, no Norte do México, à fronteira do país com os EUA. As autoridades locais disseram acreditar que este seja mais um lance na guerra entre as gangues que disputam o controle do narcotráfico na região.

Agência Estado

13 Maio 2012 | 18h04

Segundo o procurador geral do estado de Nuevo León, Adrián de la Garza, alguns dos corpos encontrados levavam tatuagens do culto à "Santa Muerte", popular entre as gangues de traficantes. Ele não descartou, porém, que as vítimas fossem emigrantes que se dirigiam à fronteira dos EUA para atravessá-la ilegalmente.

Os corpos de 42 homens e seis mulheres foram encontrados às 4h locais deste domingo (6h em Brasília) no município de San Juan, na rodovia que leva à cidade de Reynosa, na fronteira do México com os EUA. Policiais e soldados do Exército mexicano fecharam a rodovia para recolher os corpos, que estavam em sacos plásticos, e examinar o local.

De acordo com o porta-voz das forças de segurança de Nuevo León, Jorge Domene, junto aos corpos havia sido deixada uma bandeira e uma mensagem na qual o cartel de traficantes Zetas assumia a responsabilidade pelo massacre. Domene acrescentou que o fato de as cabeças e as mãos das vítimas terem sido cortadas torna sua identificação mais difícil. Os corpos foram levados para Monterrey, para testes de DNA.

O procurador De la Garza disse que as vítimas podem ter sido mortas nos dois dias anteriores em outro local e depois transportadas até San Juan, que fica 125 km a Sudoeste do ponto de entrada nos EUA de Roma (Texas).

Cerca de 40 mil pessoas já perderam suas vidas em conflitos relacionados ao narcotráfico no México desde que o governo do país adotou a política norte-americana de "guerra às drogas", há 15 anos. Somente neste mês, outros 23 corpos haviam sido encontrados abandonados na cidade de Nuevo Laredo e outras 18 em uma estrada próxima a Guadalajara, a segunda maior cidade do país. Em abril, a polícia havia encontrado os corpos mutilados de 14 homens em uma van abandonada no centro de Nuevo Laredo.

A maioria dessas mortes ocorridas perto da fronteira com os EUA é atribuída à guerra entre os Zetas e o chamado Cartel de Sinaloa.As informações são da Associated Press. (Equipe AE)

Mais conteúdo sobre:
MéxicoEUAgangues

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.