Ahmad Masood/Reuters
Ahmad Masood/Reuters

Sobe para 10 número de mortos por ataque em Cabul

Atentado ocorre no dia em que se comemora a independência do Afeganistão do Reino Unido

AE, Agência Estado

19 de agosto de 2011 | 08h49

CABUL - Suicidas atacaram a sede do British Council na capital afegã, nesta sexta-feira, 19, matando pelo menos 10 pessoas em um confronto a tiros que durou cinco horas no aniversário da independência do país do Reino Unido. Um porta-voz do Taleban, Zabiullah Mujahid, reivindicou o ataque ao local, na zona oeste de Cabul.

Entre os mortos havia oito policiais, um guarda cuja nacionalidade não foi ainda revelada e um servidor municipal afegão, segundo o policial Farooq Asas. Dois dos quatro feridos no ataque não eram afegãos, disse Asas.

A chancelaria britânica informou que todos os insurgentes envolvidos no ataque foram mortos. A ação começou com um suicida detonando um carro cheio de explosivos na parte de fora do British Council, enquanto outro suicida se explodiu dentro do prédio, segundo a polícia afegã. Forças de segurança locais foram enviadas ao local, onde havia pelo menos três insurgentes lutando com rifles e granadas propelidas por foguete.

Em Londres, o Ministério das Relações Exteriores confirmou que todos os cidadãos britânicos estavam em segurança, após o ataque. Autoridades britânicas não iriam informar quantas pessoas estavam no prédio no momento do ataque. Nesta sexta-feira, os afegãos marcam o Dia da Independência da Grã-Bretanha, ocorrida em 1919.

A polícia havia contabilizado cinco suicidas envolvidos no ataque. Dois detonaram explosivos e pelo menos três entraram no local a pé. Tropas afegãs conduziram o contra-ataque, porém tropas da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) estavam no local, aconselhando a ação.

A sede do British Council fica em uma área residencial rica de Cabul e é formada por dois prédios. O British Council tem entre seus objetivos auxiliar nações estrangeiras no setor educacional e de sociedade civil.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoviolênciaataqueCabul

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.