Sobe para 11 o número de mortos em ataque a hotel no Quênia

Subiu para 11 mortos e 80 feridos o número de vítimas num atentado com carro-bomba ao hotel Paradise, na cidade de Kikambala, no Quênia, ocorrido na manhã desta quinta-feira. Pelo menos 150 turistas israelenses estavam hospedados no hotel. Entre os mortos estão três israelenses, incluindo duas crianças. Em ataque simultâneo, dois mísseis foram lançados contra um avião da companhia israelense Arkia que tinha acabado de decolar da cidade de Mombasa, com destino a Tel Aviv. A aeronave não foi atingida, mas passageiros e tripulação viram duas explosões bem ao lado do avião.O embaixador do Quênia em Israel, John Sawe, declarou que "sem dúvida nenhuma" os dois incidentes estão relacionados e "são obra da rede terrorista Al-Qaeda", liderada pelo saudita Osama bin Laden. O ministro de Relações Exteriores de Israel, Benjamin Netanyahu, disse que seu governo ainda não tem informações sobre qual grupo seria responsável pelos ataques, mas acredita ser bem possível que a ação tenha sido perpetrada pela Al-Qaeda.A tripulação do avião disse ter visto, ao decolar, uma forte luz no lado esquerdo da aeronave, segundo informou o subdiretor da empresa, Shlomo Hanael. Segundo a emissora de TV Dos, o piloto pensou em fazer um pouso de emergência na cidade de Nairóbi, ainda no Quênia, para verificar se a aeronave estava danificada, mas após consultar as autoridades israelenses decidiu seguir viagem.Havia 261 passageiros e 10 tripulantes no avião, mas ninguém ficou ferido. A aeronave pousou em segurança em Israel às 12h40 locais. Todas as mortes ocorreram no ataque ao hotel, confirmou o diretor-geral do ministério das Relações Exteriores de Israel, Yoav Biran.O governo de Israel enviou ao Quênia um avião com médicos para ajudar no resgate e tratamento dos feridos. Os dois ataques ocorreram perto das 8h locais. A rádio de Israel informou que todos os vôos da companhia El Al de aeroportos estrangeiros foram suspensos.Em 7 de agosto de 1998, um ataque contra a embaixada dos Estados Unidos no Quênia deixou 219 mortos - incluindo 12 americanos - e cerca de 5.000 feridos. Em atentado simultâneo contra a embaixada norte-americana na Tanzânia, 12 pessoas morreram e 80 ficaram feridas. Os terroristas envolvidos nos ataques foram relacionados ao grupo terrorista de Bin Laden.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.