Sobe para 11 o número de mortos em terremoto no Japão

Equipes de resgate encontram mais uma vítima em escombros de hotel; dez continuam desaparecidos

Associated Press e Efe,

18 de junho de 2008 | 10h16

Equipes de busca encontraram nesta quarta-feira, 18, mais uma vítima entre os destroços de um hotel destruído durante o forte terremoto ocorrido no último fim de semana no norte do Japão, elevando a 11 o número de mortos na tragédia, informou a mídia local.   A agência de notícias Kyodo e a emissora pública de televisão NHK informaram que o corpo foi o quinto retirado do hotel, atingido por um deslizamento de terra desencadeado pelo terremoto de 7,2 graus na escala Richter ocorrido no sábado. Pelo menos dez pessoas continuam desaparecidas, duas delas no interior do hotel atingido pelo deslizamento, e mais de 250 ficaram feridas, prosseguiam as reportagens.   Autoridades locais disseram não dispor de informações para confirmar as versões da mídia. Apesar da força do terremoto, houve um número relativamente baixo de vítimas porque o abalo sísmico atingiu principalmente uma região rural e esparsamente povoada do norte do Japão.   Os trabalhos de resgate foram dificultados durante os últimos dias pela formação de lagos a partir de deslizamentos de terra. Quatro dias depois do terremoto, cerca de 399 famílias continuam sem água e 257 seguem com problemas de fornecimento de energia elétrica, segundo a Kyodo.   O primeiro-ministro do Japão, Yasuo Fukuda, visitou nesta quarta a zona atingida pelo terremoto para dar seu apoio às pessoas que foram retiradas. O terremoto causou grandes danos em infra-estruturas, como estradas e pontes das áreas montanhosas das províncias de Miyagi, Iwate e Akita, e pôde ser sentido também na região de Kanto, onde fica Tóquio, a 350 quilômetros da zona afetada.   Este foi o terremoto mais forte a atingir o Japão desde o registrado em agosto de 2005, que também teve magnitude de 7,2 na escala Richter e de 6 na escala japonesa, que tem um máximo de sete pontos.

Tudo o que sabemos sobre:
TerremotoJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.