REUTERS/Pichi Chuang
REUTERS/Pichi Chuang

Sobe para 13 número de mortos em terremoto em Taiwan

Quase 500 pessoas ficaram feridas; equipes de resgate ainda buscam sobreviventes entre escombros de prédio residencial em Tainan

O Estado de S. Paulo

06 de fevereiro de 2016 | 11h30

TAIPÉ - Um terremoto de magnitude 6,4 na escala Richter no sul de Taiwan deixou pelo menos 13 mortos e 475 feridos, segundo o Serviço Nacional de Emergências, números que podem aumentar pela incerteza de quantas pessoas há sob os escombros.

A maioria das vítimas estava no edifício de 17 andares Wei Kunan, o mais afetado entre os 14 que ruíram ou ficaram seriamente danificados na cidade de Tainan.


A maioria dos mortos, entre eles uma menina de 10 dias, estava no edifício residencial. Até agora 258 pessoas foram resgatadas, mas vizinhos e parentes dizem que ainda há gente no prédio. Segundo a emissora local "SET" havria mais de 40 pessoas soterradas.

O panorama em Tainan é devastador, com edifícios derrubados, alguns inclinados e danificados em seus alicerces, risco de escape de gás e interrupção da eletricidade na região.

Em frente ao edifício Weiguan ainda há famílias esperando o resgate de parentes, com cenas de alegria, como a de uma mulher que presenciou o resgate de seu marido, e outras de angústia, como o caso de uma mãe que não sabia nada de seus dois filhos.

"Se não os tirarem, vou buscar por eles", disse a mãe aos gritos na televisão local "CTI".

Um pai de família, de sobrenome Hu, recuperou as esperanças de voltar a ver seus filhos quando os bombeiros recuperaram o gato da família. Pouco depois seus pequenos foram tirados das ruínas.


"Tinha certeza que o gato estaria com meus filhos", disse Hu.

O terremoto deixou 168 mil casas sem energia elétrica e 40 mil sem água. Um posto de gasolina localizado em frente a um edifício instável teve seu combustível retirado pelo risco de o prédio desabar sobre ele.

Vários automóveis e motos ficaram esmagados sob os edifícios, e um campo de golfe local sofreu grandes rachaduras, algumas de mais de dois metros de profundidade.

O trem de alta velocidade que liga o sul ao norte da ilha interrompeu seus serviços, em um dia no qual muitos taiwaneses que vivem no populoso norte vão ao sul para comemorar, na noite de domingo, a chegada do Ano-Novo Lunar.

O presidente taiwanês, Ma Ying-jeou, e o primeiro-ministro, Chang São-cheng, foram a Tainan para acompanhar de perto as operações de resgate e salvamento, além de mostrar solidariedade às vítimas.

Os sismólogos taiwaneses advertiram que ainda são esperados outros tremores de mais de 6 graus na ilha neste ano e não descartam a possibilidade de que isso ocorra nas próximas semanas.

"Como a energia média anual dos terremotos de mais de 6 graus equivale a 6 bombas atômicas, e hoje foram liberadas o equivalente a 2, ainda são prováveis mais abalos fortes este ano", disse hoje à imprensa o diretor de Sismologia do Serviço Meteorológico do país, Kuo Kai-wen.

O Parque Central do Sul de Taiwan, sede de importantes fábricas de alta tecnologia, interrompeu sua atividade devido aos cortes de eletricidade, mas não sofreu danos graves, informou o Ministério da Economia.

O terremoto de magnitude 6,4 teve seu epicentro a 16,7 quilômetros de profundidade na cidade de Meinung, ao sul de Taiwan, e sacudiu o sul da ilha às 3h57 de sábado (horário local), segundo o Serviço Meteorológico Central.

Muitos dos moradores do centro e do sul de Taiwan disseram que os tremores lembraram o terremoto de 7,3 graus na escala Richter que em 21 de setembro de 1999 matou mais de 2.400 pessoas na ilha. / EFE
Tudo o que sabemos sobre:
TaiwanterremotoresgateTainan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.