Sobe para 12 o número de mortos por fortes chuvas no Chile

As chuvas e ventos que têm assolado as regiões central e sul do Chile deste a última terça-feira já deixaram 12 mortos, dois desaparecidos e 25.879 desabrigados, informaram nesta quarta-feira fontes oficiais.Dos desabrigados, 15.828 correspondem à região sulina do Bío-Bío, a 500 quilômetros de Santiago, e deles, 997 estão em albergues, segundo relatório entregue nesta quarta-feira pelo Departamento Nacional para Situações de Emergência (Onemi).Essa região, para onde viajou hoje a presidente do país, Michelle Bachelet, foi declarada "zona de catástrofe" pelo Governo, após o transbordamento dos rios Bío-Bío e Andalién.Dos mortos, dez correspondem à cidade de Chiguayante, próxima à cidade de Concepción, capital do Bío-Bío, onde um morro desabou e enterrou cerca de dez bombeiros e moradores, enquanto estes tentavam socorrer os vizinhos.Na cidade, Bachelet expressou condolências aos familiares das vítimas e se comprometeu a ajudar as famílias desabrigadas."A tarefa principal do Governo nesse momento é ajudar as pessoas que sofreram uma tremenda catástrofe e, por conseqüência, uma tremenda tragédia pessoal e familiar", afirmou o governante.Moradores da cidade acusam Bachelet de usar a tragédia para aparecer nos meios de comunicação locais, em uma tentativa de reverter a queda de popularidade que sofreu nas últimas pesquisas.Vítimas A outra vítima corresponde a uma mulher de 87 anos que morreu na cidade de Los Angeles (sul) enquanto era transferida ao hospital da região, após ser resgatada de uma casa alagada.Uma boa notícia foi que um dos dois policiais que foram arrastados pelo rio Teno, enquanto ajudavam a resgatar algumas pessoas que estavam debaixo de uma ponte, conseguiu sobreviver.Ricardo Hidalgo Iturriaga, de 27 anos, foi resgatado por um helicóptero após ficar quase 12 horas na água. Ele foi visto preso em alguns galhos, que estavam a cerca de 40 quilômetros do local onde caiu no rio.Segundo o último balanço do Onemi, na região de Valparaíso, 120 quilômetros ao norte de Santiago, há 1.576 desabrigados, dos quais 100 estão em albergues. Na região de O´Higgins, cerca de 100 quilômetros ao sul de Santiago, até o momento são contabilizados 852 desabrigados, com 67 deles já levados a albergues ou outros locais.O balanço oficial de vítimas não incluiu cinco pescadores da ilha Chiloé, a 1.200 quilômetros de Santiago, que foram dados por desaparecidos na terça-feira pelas autoridades da zona.Na região Metropolitana de Santiago, onde choveu ao longo de toda a noite e pela manhã, com ventos de cerca de 40 km/h, os desabrigados já são 780. Foram registrados cortes esporádicos de energia elétrica em alguns bairros.O temporal abrange mais de 1.300 quilômetros do território chileno, da região de Coquimbo, no norte, até a de Los Lagos, no extremo sul. Em várias regiões, entre elas a de Valparaíso, aulas foram suspensas e todos os portos até a região meridional de Aysén, a 1.500 quilômetros de Santiago, estão fechados.Os últimos relatórios meteorológicos assinalam que a frente que traz a chuva e os ventos deve retornar nesta madrugada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.