Corpo Nazionale Soccorso Alpino e Speleologico/ANSA via AP
Corpo Nazionale Soccorso Alpino e Speleologico/ANSA via AP

Sobe para 14 o número de mortos em hotel atingido por avalanche na Itália

Equipes de resgate retiraram nesta terça-feira os corpos de mais cinco pessoas soterradas em avalanche que atingiu hotel na região de Abruzzo; 15 pessoas seguem desaparecidas

O Estado de S. Paulo

24 Janeiro 2017 | 08h52

ROMA - Os corpos de cinco pessoas foram recuperados nesta terça-feira, 24, do hotel Rigopiano, na região de Abruzzo, na Itália, que foi atingido por uma avalanche de neve e detritos na última quarta-feira, o que aumenta o número provisório de vítimas para 14 mortos e 15 desaparecidos.

Depois que nove pessoas foram achadas vivas na última sexta-feira, entre elas as quatro crianças que estavam desaparecidas, não foram encontrados mais sinais de vida sob as centenas de milhares de toneladas de neve e rochas que sepultaram este luxuoso hotel situado nas encostas do maciço de Gran Sasso, a 1,3 mil metros de altitude.

Os trabalhos de busca de possíveis sobreviventes continuam sem intervalo, com a participação de aproximadamente 150 pessoas, entre militares, bombeiros, policiais e trabalhadores da Cruz Vermelha e do Serviço Alpino, que se alternam em turnos.

A esperança das equipes de resgate é chegar ao centro do hotel, onde se encontrava a área do bar e onde acredita-se que poderiam estar concentrados alguns dos hóspedes que ainda estão desaparecidos.

Segundo as equipes de resgate, os quartos que se encontravam nos andares altos do hotel ficaram completamente arrasados pela avalanche, que aconteceu possivelmente após a série de terremotos de magnitude superior a 5 graus na escala Richter registrados na manhã de 18 de janeiro.

Segundo uma primeira reconstituição do acidente, 120 mil toneladas de neve, rochas e outros detritos atingiram o hotel a uma velocidade de 100 km/h.

Entre os cinco adultos sobreviventes, apenas um terá que permanecer hospitalizado após ser operado de um braço que ficou preso em uma das vigas. Além disso, na segunda-feira receberam alta três das quatro crianças resgatadas, entre eles Gianfilippo e Ludovica Parete, de 6 e 8 anos, filhos de Giampiero, que foi quem alertou as autoridades sobre o ocorrido, e de Adriana Vranceanu, resgatada pelas equipes de bombeiros após mais de 50 horas sob a neve.

Também deixou o hospital Edoardo, de 8 anos, que ainda não sabe que seus pais, Sebastiano e Nadia Di Carlo, foram encontrados mortos. Já Samuel, de 7 anos, permanecerá hospitalizado enquanto seus pais seguem desaparecidos. / EFE

Mais conteúdo sobre:
ItáliaAvalancheTerremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.