Sobe para 1.415 o número de mortos pela epidemia de cólera no Haiti

Só 2 dos 10 departamentos do país não têm mortos; Artibonite concentra o maior número, 707

Efe

23 de novembro de 2010 | 16h52

PORTO PRÍNCIPE - O número de mortes em decorrência da epidemia de cólera que assola o Haiti desde 19 de outubro aumentou para 1.415, segundo informaram as autoridades sanitárias do país nesta terça-feira, 23.

Um total de 60.240 pessoas foi tratado em centros médicos desde o início do surto. Destas, 25.248 foram hospitalizadas e 24.296 já receberam alta, de acordo com o último boletim do Ministério da Saúde Pública e População (MSPP), divulgado no dia 20.

O relatório oficial da última segunda-feira apontou que havia 1.344 mortos e 56.901 atendidos em unidades médicas. Por departamentos, Artibonite é o que concentra o maior número de óbitos (707), seguido do Norte (220), Oeste (203 - 95 deles na capital, Porto Príncipe), Centro (139), Noroeste (122), Nordeste (13), Sul (9) e Sudeste (2).

Nos departamentos de Grand Anse e Nippes, no sul do Haiti, ainda não houve mortes.

A epidemia de cólera já passou para o vizinho República Dominicana, que contabiliza quatro casos até agora. As autoridades têm reforçado o controle da doença nas fronteiras para impedir o avanço.

Em Genebra, na Suíça, a Organização das Nações Unidas (ONU) lamentou nesta terça que, dos US$ 164 milhões solicitados há uma semana para combater o surto, só tenha recebido US$ 6,8 milhões, o que considerou "um nível ínfimo" de financiamento e exortou os países a ajudarem urgentemente o Haiti.

Tudo o que sabemos sobre:
cóleraHaitiONURepública Dominicana

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.