Sobe para 144 o número de mortos em terremoto nas Filipinas

Segundo as autoridades locais, 291 pessoas ficaram feridas e 33 estão desaparecidas

O Estado de S. Paulo,

16 de outubro de 2013 | 09h05

MANILA - As autoridades das Filipinas elevaram nesta quarta-feira, 16, para 144 o número de mortes provocadas por um terremoto de magnitude 7,2 que atingiu o país ontem. No total, 2,8 milhões de pessoas foram afetadas pelo tremor, cujo epicentro foi registrado na região de Visayas.

"O número de mortos pelo terremoto subiu para 144 e outras 291 pessoas ficaram feridas", anunciou em entrevista coletiva o diretor executivo do Conselho Nacional de Gestão e Redução de Desastres das Filipinas, Eduardo del Rosário.

Além disso, 33 pessoas permanecem desaparecidas. Outras 12 mil pessoas foram deslocadas de suas casas em razão do tremor. Foi o terremoto mais forte ocorrido no arquipélago filipino nas duas últimas décadas.

O presidente das Filipinas, Benigno Aquino, visitou hoje a ilha de Bohol para ver a situação nas zonas afetadas, onde foi declarado estado de calamidade. Aquino se reuniu com membros de seu gabinete para receber atualizações sobre os esforços das equipes de emergências e dos ministérios.

Aquino se deslocou depois para Cebu e visitou, entre outros lugares, a Basílica Menor do Santo Menino, considerado o monumento mais antigo da Igreja Católica do país, do século XVII, que sofreu danos com o tremor.

O terremoto causou grandes prejuízos na infraestrutura da zona, em hospitais, estradas, pontes, edifícios governamentais e em vários monumentos, incluídas 17 igrejas históricas. Segundo os números oficiais, 20 pontes, 30 colégios e cinco delegacias sofreram danos consideráveis e 11 hospitais avarias menores. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Filipinasterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.