Sobe para 16 o número de mortos na Arábia Saudita

Um grupo vinculado à organização terrorista Al-Qaeda assumiu o atentado ocorrido hoje contra as sedes de escritórios de empresas de petróleo e também vários complexos residenciais na cidade de Khobar, no leste da Arábia Saudita. O local, a 400 quilômetros de Riad, viviam numerosos estrangeiros que trabalhavam em empresas petrolíferas norte-americanas. Pelo menos 16 pessoas morreram. Há informações de que entre os mortos, nove eram sauditas, e os demais estrangeiros, sendo um norte-americano, um filipino, um menino egípcio de 10 anos e dois guardas de segurança.Um diplomata ocidental confirmou os ataques em, pelo menos, três conjuntos diferentes em Khobar. O oficial do Consulado do Egito em Riad, Mahmoud Ouf, disse que Rami Samir Al-Goneimi, o menino egípcio, foi morto no conjunto da Apicorp (Corporação Árabe de Investimento em Petróleo), onde seu pai trabalhava. Representantes da Apicorp, o braço investidor da Organização de Empresas Exportadoras de Petróleo, ainda não se manifestaram sobre os ataques, mas disseram que vão divulgar uma nota oficial.Ingnora-se até o momento a extensão do ataque, que supostamente estava relacionado com outra ação de terroristas que teriam feito vários reféns, mas fontes policiais informaram que os reféns podem ter sido liberados antes do ataque.O maior ataque terrorista antes deste foi o de 12 de maio do ano passado, quando a explosão causada por três homens-bomba matou 35 pessoas e deixou pelo menos 200 feridos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.