Sobe para 16 o número de mortos no acidente no Queen Mary

Famílias de trabalhadores das equipes de construção subiram, hoje, a bordo do luxuoso transatlântico Queen Mary II para deixar homenagens no local onde 16 pessoas foram mortas, quando uma passarela lotada caiu. O número, originalmente de 13, subiu hoje pela manhã, quando mais três pessoas não resistiram aos ferimentos, anunciaram funcionários da Chantiers d?Atlantique, a empresa construtora do maior e mais caro navio de cruzeiro do mundo.Mais 30 pessoas ainda continuam hospitalizadas, algumas em estado grave. Parentes dos mortos deixaram buquês de rosas e lírios na ponte do imenso navio de 108 hectares, em fase final de construção. Fabrice Ponchaux, de 32 anos, perdeu sua mãe e sua tia. Seu pai está no hospital.?Este navio deveria ser o orgulho nacional?, disse Ponchaux. Chorando, uma mulher perguntava, repetidamente ?por que não puseram redes??A passarela foi instalada sexta-feira para facilitar a visita das famílias dos trabalhadores ao transatlântico quase terminado, antes de sua viagem inaugural em janeiro. Cerca de 48 pessoas se amontoavam na passarela, quando ela desabou, derrubando um dos andaimes e jogando pessoas ao chão de uma altura de 15 metros.Patrick Boissier, presidente da Chantiers d?Atlantique, diz que até o momento não está claro o que provocou a queda. ?É muito cedo para saber o que houve?, disse. ?Haverá uma investigação para esclarecer o caso.?O navio está em docas secas para os últimos retoques antes da viagem inaugural. A britânica Cunard Lines, que operará a embarcação e que é de propriedade da Carnival Corp., sediada em Miami, diz que a viagem de Southampton, Inglaterra, a Fort Lauderdale, Flórida, deverá ser mantida como planejado para janeiro. Esse cruzeiro, para o qual as passagens começaram a ser vendidas em agosto de 2002, está lotado.O Queen Mary II é o maior navio de passageiros do mundo, com 1.138 pés (342 metros) de comprimento e 71 metros de altura ? correspondendo a um prédio de 21 andares.É também o mais caro, custando US$ 800 milhões. Uma vez pronto, o Queen Mary terá um planetário, 22 elevadores e a maior biblioteca flutuante do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.