Harley Palangchao/Reuters
Harley Palangchao/Reuters

Sobe para 16 o número de mortos pelo tufão 'Nanmadol' nas Filipinas

Pelo menos 8 pessoas continuam desaparecidas; tempestade deixou mais de 61 mil desabrigados

Efe

29 de agosto de 2011 | 11h31

MANILA - Pelo menos 16 pessoas morreram e outras oito, a maioria pescadores, continuam desaparecidas em razão das enchentes e avalanches causadas pelo tufão "Nanmadol" no norte das Filipinas.

 

O tufão, que perde força enquanto se afasta do país, afetou 231.314 pessoas, das quais 61.267 ficaram sem um teto e se amontoaram nos 38 centros de evacuação habilitados, segundo o último relatório do Conselho Nacional de Prevenção e Resposta a Desastres.

 

Um total de 36 estradas está fechado e dez pontes estão intransitáveis, enquanto algumas áreas, como Cagayan, estão sem serviço elétrico desde sexta-feira, e outras regiões também carecem de água e telefone.

 

As autoridades contabilizam os danos causados nas infraestruturas e no setor agrícola em cerca de US$ 23,7 milhões.

 

As autoridades foram informadas de 90 casas destruídas e de danos em outras 1.510 em cerca de 20 províncias afetadas.

 

O "Nanmadol" entrou no arquipélago na quinta-feira com ventos de até 240 quilômetros por hora, acompanhado de fortes chuvas, e está a caminho de Taiwan, onde o sul e o sudeste sofrem graves inundações e cortes de eletricidade, que se unem à mobilização de 35 mil soldados e a evacuação de quase seis mil pessoas.

 

No mês passado, 72 pessoas morreram nas Filipinas pela ação combinada de uma tempestade tropical e um tufão, que além disso afetou um milhão de habitantes.

Entre 15 a 20 tufões afetam este país asiático a cada ano durante a estação chuvosa, que geralmente começa em maio e termina em novembro.

 

Os especialistas das agências internacionais identificam a favelização como o principal fator do grande número de vítimas nas Filipinas dos desastres naturais e que evidenciam o péssimo estado das infraestruturas.

Tudo o que sabemos sobre:
ManilatemprestadetufãoNanmadol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.