Sobe para 17 número de mortos nos terremotos que abalaram Itália

Região ainda não havia se recuperado de tremor de 20 de maio, que causou sete mortes e deixou mais de seis mil desabrigados

30 Maio 2012 | 10h11

ROMA - O número de mortos pelos terremotos que sacudiram a região italiana de Emilia Romanha chegou oficialmente a 17 depois que os bombeiros encontraram nesta quarta-feira, 30, o cadáver do único desaparecido que restava entre os escombros de uma fábrica na localidade de Medolla.

Veja também:

linkDois terremotos atingem norte da Itália

video TV ESTADÃO: Novo terremoto na Itália

Das 17 vítimas mortais, 11 morreram na queda dos tetos de seus locais de trabalho, outras cinco no desabamento de suas casas e um sacerdote ao ser atingido por uma viga em sua paróquia.

Os bombeiros escavaram durante toda a noite em busca do trabalhador desaparecido da fábrica Haematronic, cujo desabamento causou a morte ontem de outras três pessoas em Medolla.

Veja imagens:

Perante estes números, os sindicatos italianos acusaram as empresas de terem forçado a volta ao trabalho aos empregados em estruturas que podiam ter sido danificadas pelo terremoto registrado no último dia 20 de maio.

A procuradoria de Modena abriu uma investigação para esclarecer a derrubada dos edifícios e das fábricas, muitas delas de construção recente.

Quando a terra voltou a tremer ontem, a região de Emilia Romanha ainda não havia se recuperado do terremoto de 20 de maio, que causou sete mortes e deixou mais de seis mil desabrigados e grandes danos tanto na indústria, como na agricultura e no patrimônio artístico do país.

Agora o principal problema é dar assistência às quase 14 mil pessoas que não podem voltar às suas casas e dormem em barracas de campanha ou em vagões de trens. 

Mais conteúdo sobre:
Itálita terremoto vítimas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.