Sobe para 17 o número de mortes pela pneumonia atípica

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou, em Genebra, que aumentou para 17 o número de mortes causadas pelo surto de pneumonia atípica, e subiu para 456 o de pessoas suspeitas de ter contraído a doença, também chamada de Síndrome Respiratória Aguda Severa (Sars). Entre os óbitos registrados, dois ocorreram no Vietnã - o de uma enfermeira e um médico - e dois em Hong Kong, onde o próprio diretor do Departamento de Hospitais, William Ho, foi internado com sintomas da doença.O maior aumento do número de casos suspeitos, segundo dados da OMS, ocorreu nos Estados Unidos - de 13, na sexta-feira, a 37 comunicados até hoje. Dos casos de morte, três foram registrados no Canadá, quatro no Vietnã e dez em Hong Kong, onde 247 pessoas foram infectadas.Hoje, o governo de Cingapura ordenou a cerca de 740 pessoas que tiveram contato com vítimas da pneumonia que permaneçam em casa nos próximos dez dias, numa tentativa de controlar a propagação do vírus. Cingapura registrou 65 casos da Sars, incluindo 14 comunicados hoje. Doze pacientes estão em estado grave.Funcionários do Instituto Nacional do Ambiente examinarão diariamente as pessoas em quarentena para verificar se apresentam sintomas. Qualquer pessoa em quarentena que for encontrada fora de casa poderá receber multa de até US$ 2,3 mil na primeira vez e até cerca de US$ 5 mil na reincidência.A OMS lançou um alerta global na semana passada, diante da rápida multiplicação do número de infectados, principalmente em Hong Kong e no Vietnã, onde a doença ainda não foi controlada.VírusUm vírus da família dos coronavírus foi identificado como a causa mais provável da epidemia, anunciou hoje, em Washington, o Centro de Controle de Doenças (CDC, na sigla em inglês) dos Estados Unidos."Temos de continuar a investigar, mas acreditamos estar no caminho certo", declarou a diretora do CDC, Julie Garberding. Para confirmar essa hipótese, é preciso fazer novas análises, entre elas o cultivo do vírus, além do seqüenciamento do genoma viral e do exame de sangue de pacientes em diferentes estágios da doença.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.