Sobe para 200 número de mortos por terremoto na Indonésia

Mais de mil vítimas estão soterradas; tragédia aconteceu horas depois de tsunami em Samoa, que matou 119

Agência Estado e Associated Press,

30 de setembro de 2009 | 22h16

Professores saem de universidade destruída em Padang, na ilha de Sumatra. (Muhammad Fitrah/Reuters)

 

JACARTA - Um terremoto de 7,6 graus sacudiu nesta quarta-feira, 30, a ilha de Sumatra, na Indonésia, deixando pelo menos 200 mortos e mais de mil vítimas soterradas, segundo as autoridades locais. O abalo foi sentido na Malásia e em Cingapura, onde diversos prédios comerciais tiveram que ser abandonados às pressas pelo risco de desabamentos. A tragédia aconteceu horas depois de um tremor seguido de tsunami ter atingido as ilhas Samoa, no Oceano Pacífico, deixando pelo menos 119 mortos.

 

Veja também:

especialEntenda como acontecem os terremotos

 

Além das ilhas do Pacífico e Índico, o sudeste do continente asiático também foi atingido por desastres naturais. Nas Filipinas, 246 pessoas morreram depois que uma tempestade tropical atingiu o país, no fim de semana. A tormenta ganhou força no Mar da China e, na terça-feira, transformou-se num tufão que deixou pelo menos 74 mortos no Vietnã. Hoje, os fortes ventos passaram pelo Camboja provocando a morte de 11 pessoas.

 

Na Indonésia, as autoridades temem que o terremoto registrado hoje possa ser tão destruidor quanto o que atingiu a região central da Ilha de Java deixando 6 mil mortos e destruindo 150 mil imóveis em 2006. "Há pessoas presas sob os escombros. Hotéis, escolas e casas foram derrubadas e a eletricidade está cortada", disse o vice-presidente indonésio, Jusuf Kalla. Pelo menos 500 casas foram destruídas.

 

Em Samoa, povoados inteiros ficaram devastados; na foto, destruição em Pago Pago. (Ausage Fausia/AP)

 

O número de vítimas pode aumentar nos próximos dias, na medida em que as equipes de resgate ganharem acesso a localidades mais remotas das ilhas indonésias. A chegada de socorro é lenta devido à destruição completa e ao bloqueio de inúmeras rodovias, além do acúmulo de escombros e dos inúmeros incêndios simultâneos registrados em diversas regiões do país.

 

"Pontes ruíram e as linhas telefônicas foram cortadas. É muito difícil avaliarmos realmente a situação", disse Amelia Merrick, chefe de operações da organização World Vision Indonésia. O tremor de terra foi sentido às 17h16 locais (7h16 em Brasília) e teve origem a 83 quilômetros de profundidade, segundo o Instituto de Pesquisa Geológica dos Estados Unidos. Vários tremores secundários de mais de 6 graus de magnitude foram sentidos na sequencia.

 

"Foi o pior terremoto que eu senti na minha vida", disse um morador da cidade costeira de Pedang, uma das mais atingidas, com 900 mil habitantes. "As casas ficaram seriamente danificadas e as pessoas fugiram para as regiões mais altas." O teto do aeroporto da cidade veio abaixo com o tremor, segundo relato de testemunhas, e a pista de pouso rachou.

 

O Centro de Alerta para Tsunamis do Pacífico, com sede no Havaí, emitiu um aviso de vigilância temendo o aumento no nível das ondas na Indonésia, Malásia, Índia e Tailândia. Em Cingapura, o governo chegou a adotar medidas de precaução contra tsunamis.

 

No início do mês, um terremoto de menor intensidade matou 57 pessoas na ilha de Java. Em dezembro de 2004, um terremoto de 9,1 graus desencadeou um tsunami com ondas gigantes que deixaram mais de 230 mil mortos em 11 países, provocando reflexos até na costa leste da África. Do total de mortos, 168 mil eram indonésios.

Tudo o que sabemos sobre:
Indonésiailhas Samoaterremototsunami

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.