Sobe para 22 o total de mortos em ataque no Paquistão

Homens armados abriram fogo contra dois ônibus e travaram batalhas de rua na maior cidade do Paquistão nesta quinta-feira, matando pelo menos 22 pessoas. A ação faz parte de uma onda de violência que já deixou 49 mortos em três dias no país. A violência registrada hoje foi o pior episódio deste ano em Karachi, cidade de 18 milhões de habitantes que tem histórico de violência étnica, sectária e política.

AE, Agência Estado

07 de julho de 2011 | 17h58

Pelo menos 22 pessoas foram mortas hoje, disse Sharfuddin Memon assessor de segurança da província de Sindh, onde Karachi está localizada. Dez morreram quando os homens atacaram os ônibus. Segundo Memon, 27 pessoas morreram em tiroteios esporádicos na terça-feira e ontem. O partido político mais poderoso de Karachi, o Movimento Muttahida Qaumi, ameaçou convocar uma greve na cidade, a menos que o governo federal controle o derramamento de sangue.

A suspeita é de que o partido tenha ligação com algumas das gangues armadas da cidade, situação igual a de alguns partidos políticos rivais como o Partido do Povo Paquistanês, do presidente Asif Ali Zardari, agremiação liberal de origem pashtun. Irshad Bokhari, funcionário do governo de Karachi, disse que transportadoras retiraram seus caminhões das ruas e postos de gasolina foram fechados. Um repórter da AP informou que as ruas estavam praticamente desertas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoataqueônibusmortes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.