Emrah Gurel /AP
Emrah Gurel /AP

Sobe para 245 número de mortos em explosão de mina na Turquia; há 200 desaparecidos

Acidente está entre os piores do gênero na história do país; explosão ocorreu na terça-feira

O Estado de S. Paulo,

14 Maio 2014 | 06h25

ANCARA- O número de mortos pelo acidente de ontem em uma mina de carvão na Turquia subiu para 238, mas ainda pode aumentar, afirmou nesta quarta-feira, 14, o ministro da Energia turco, Taner Yildiz. O acidente ocorreu ontem na cidade de Soma, a 480 quilômetros de Istambul. O governo decretou três dias de luto no país.

As autoridades acreditam que centenas de operáriios ainda estejam soterrados na mina "Estamos nos aproximando de que este provavelmente seja o pior acidente já registrado na Turquia", disse o ministro da Energia, Taner Yildiz a repórteres no local.

O ministro não quis antecipar quantas pessoas permanecem presas na mina e prometeu atualizar o número de vítimas assim que os corpos forem recuperados.

"Não quero dar um número muito alto ou muito baixo e dar ideias equivocadas, apesar de termos uma estimativa, segundo os dados proporcionados pela empresa mineradora" responsável pela exploração, disse Yildiz.

O ministro disse ontem à noite que 787 operários estavam na mina no momento do acidente, dos quais 363 tinham conseguido se salvar e cerca de 80 estavam feridos, por isso, teme-se que o número de vítimas possa ser  maior que 300. Yildiz detalhou hoje que 57 pessoas estão sendo tratadas nos hospitais.

Alguns operários da mina, por sua vez, relataram à imprensa local que poderia haver entre 300 e 400 pessoas na mina e  é pouco provável que elas sejam encontradas com vida.

Segundo Yildiz,  não foi detectado gás metano na mina e que as mortes teriam sido causadas pela inalação de monóxido de carbono após uma explosão causada por um transformador elétrico.

Horas após o anúncio de que um operário tinha sido resgatado com vida, o que aumentou as esperanças de se encontrar mais sobreviventes, foi esclarecido que o resgatado, que acabou morrendo, era membro das equipes de resgate.

O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan deve visitar hoje o local do acidente. /EFE

Mais conteúdo sobre:
Turquia Recep Erdogan Acidente

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.