Sobe para 250 número de mortes causadas por vulcão da Indonésia

Além de mortes, tragédia destruiu campos, aldeias e causou problemas a saúde da população

EFE,

15 de novembro de 2010 | 03h19

 

JACARTA - As equipes de resgate encontraram dez novos cadáveres em torno do vulcão Merapi na Indonésia, o que aumenta o número de mortos para 250 desde que começaram as erupções no dia 26 de outubro, informou nesta segunda-feira, 15, a imprensa local.

 

Veja também:

mais imagens A fúria do Merapi em imagens

especial Linha do tempo: a destruição dos vulcões

 

O Merapi, situado na ilha de Java, lançou colunas de fumaça e gás durante os últimos dias, mas, por enquanto, os vulcanólogos não esperam que aumente a atividade vulcânica. Cerca de 390 mil pessoas estão em centros de evacuação em um perímetro de segurança de 20 km em torno do vulcão, que tem mais de 2 mil metros de altura.

 

Milhares de hectares de campo foram queimados e dezenas de aldeias estão cobertas com uma grossa camada cinza, que causou graves problemas respiratórios à população. A Indonésia se assenta sobre o chamado "anel de fogo", uma área de intensa atividade sísmica que sofre cerca de 7.000 tremores por ano, a maioria de pouca potência.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.