Robert Dejon/ AFP
Robert Dejon/ AFP

Sobe para 28 o número de mortos após passagem do tufão Phanfone

Tempestade devastadora atingiu vários pontos do país na noite do Natal; um número inestimado de pessoas está sem energia ou meios de comunicação

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de dezembro de 2019 | 10h08

MANILA - A passagem do tufão Phanfone nos últimos dois dias pela região central das Filipinas deixou ao menos 28 mortos e dois feridos, além de 12 desaparecidos.

Segundo o Centro Nacional de Redução de Desastres (NDRRMC), que divulgou os dados, o tufão já está fora do arquipélago, a 335 quilômetros a oeste de Subic, na costa noroeste.

O fenômeno provocou fortes chuvas e ventos de até 195 quilômetros por hora.

A maioria das mortes aconteceu na ilha de Panay, na região de Visayas Ocidental, mas o tufão também causou temporais e enchentes a caminho do noroeste do país.

O tufão, que nas Filipinas foi batizado como Ursula, destruiu barcos, casas e causou inundações, obrigando cerca de 39 mil pessoas a se refugiarem em abrigos temporários e deixando quase 90 municípios sem eletricidade.

O tufão também causou danos a quase 60 mil hectares de cultivos e nas atividades pesqueiras, com prejuízo avaliado em mais de 571 milhões de pesos (cerca de US$ 11,27 milhões), principalmente nas ilhas Visayas.

As Filipinas recebem de 15 a 20 tufões por ano durante a estação chuvosa, que começa por volta de maio e geralmente termina entre novembro e dezembro. / EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.