Sobe para 31 número de mortos em ataque suicida no Paquistão

Outras 75 pessoas ficaram feridas; cerca de 200 paquistaneses participavam de cerimônia

Agência Estado

15 Setembro 2011 | 15h48

Policial recolhe evidências no local do atentado

 

ISLAMABAD - O ataque de um suicida durante um funeral no Paquistão matou 31 pessoas nesta quinta-feira, 15, informou a polícia, dois dias depois de homens do Taleban terem matado quatro crianças em outro distrito. A explosão, ocorrida durante a cerimônia na região de Lower Dir, 25 quilômetros a oeste da fronteira afegã, deixou 75 feridos.

 

O suicida detonou seus explosivos enquanto 200 pessoas participavam do funeral na vila de Shina Samar Bagh, informou o policial Sher Hassan Khan. Outro policial, Salim Marwat, disse que o atacante se escondeu num campo próximo e correu para o cemitério gritando "Allah Akbar!", a frase em árabe que significa "Deus é grande" e que é um grito de guerra muçulmano. A explosão ocorreu em seguida.

 

Gull Rehman, que estava no local, disse que viu o suicida e que ele tinha uma grande barba. Rehman afirmou que foi derrubado pela explosão mas conseguiu levantar e ajudar no transporte dos feridos para hospitais.

 

O funeral era de Bakhat Khan, que era membro da "lashkar" ou milícia local, que se opõe ao domínio do Taleban na região, informou a polícia. Ele morreu na noite de quarta-feira. Os homens das tribos do noroeste formaram várias dessas milícias, que costumam receber alguns recursos do governo. Elas obtiveram algum sucesso ao impedir a infiltração de militantes, mas geralmente são alvo de ataques por vingança.

 

Muitos dos sangrentos ataques dos últimos três anos tiveram como alvo membros das milícias e seus familiares. Na terça-feira, homens do Taleban mataram quatro crianças que voltavam da escola nas proximidades da cidade de Peshawar. Os insurgentes disseram que o ataque teve como objetivo impedir os moradores locais de apoiar a milícia tribal que os combate. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Paquistão funeral ataque Taleban

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.