AP Photo/Sean Rayford
AP Photo/Sean Rayford

Sobe para 32 o número de mortos durante passagem da tempestade Florence, nos EUA

Novo balanço das autoridades informam que 25 pessoas morreram na Carolina do Norte, 6 na Carolina do Sul e uma em Virgínia por causa do desastre

O Estado de S.Paulo

18 Setembro 2018 | 03h50

WILMINGTON, Estados Unidos - A tempestade tropical Florence, que assola a costa leste e o sudeste americano desde a sexta-feira, 14, deixou pelo menos 32 mortos, informam autoridades locais em novo balanço atualizado sobre o desastre. Milhares de pessoas ficaram ilhadas durante as fortes chuvas e mais de 1500 estradas estão interditadas na Carolina do Norte. Tempestade segue caminho em direção ao norte do país.

"Enchentes catastróficas e tornados ainda estão levando vidas e propriedades. Para muitas regiões da Carolina do Norte, o perigo é imediato", disse o governador da Carolina do Norte, Ray Cooper, em coletiva de imprensa. Segundo balanço atualizado pelas autoridades, pelo menos 25 dos 32 óbitos confirmados ocorreram no Estado. As outras seis mortes ocorreram na Carolina do Sul e uma em Virgínia.

Entre as vítimas está um bebê de um ano de idade cujo corpo foi encontrado do condado de Union, na Carolina do Norte. A criança teria sido levada pela água após a mãe tentar passar de carro por uma via alagada. O veículo foi carregado pela correnteza e, apesar da mulher tentar salvar a criança, a força da tempestade levou o bebê, informou a polícia local.

Apesar do Florence começar a dissipar no Estado, seguindo sua trajetória em direção ao norte do país, a Carolina do Norte lida com as consequências da passagem da tempestade tropical, que chegou a atingir a região quando ainda era um furacão de categoria 1. Segundo o Departamento de Transportes dos Estados Unidos, mais de 1500 estradas continuam interditadas total ou parcialmente, incluindo as interestaduais 40 e 95, as duas principais do Estado. 

De acordo com as autoridades, milhares de pessoas continuam em abrigos do governo. Equipes de resgate socorreram pelo menos 2600 pessoas e cerca de 300 animais domésticos que ficaram ilhados após as fortes chuvas provocarem enchentes. 

"Eu sei que as pessoas estão ansiosas para voltar a trabalhar e voltar à escola", disse Cooper. "Mas peço a você, se você não precisa dirigir, fique longe das estradas."

Estimativas divulgadas pela Moody's Analitics preveem que o Florence custará cerca de US$ 22 bilhões aos governos atingidos. A empresa afirmou ainda que o valor poderá ser revisado para cima após divulgação de novas informações sobre as enchentes que afetam os Estados. //THE WASHINGTON POST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.