Efe
Efe

Sobe para 328 o número de mortos em terremoto no interior do Paquistão

Desabamento de centenas de casas de barro aumentaram consideravalmente número de vítimas

O Estado de S. Paulo,

25 de setembro de 2013 | 08h19

O número de mortos em consequência de um forte terremoto que atingiu o Paquistão na terça-feira, 24, subiu para 328 nesta quarta, após o desabamento de centenas de casas de barro com moradores dentro ao redor de uma área remota e pouco povoada, disseram autoridades.

"Duzentos e oitenta e seis corpos já foram recuperados no distrito de Awaran", disse à Reuters Abdul Rasheed Gogazai, vice-comissário da Awaran, a área mais afetada. "E 42 corpos foram encontrados no distrito vizinho de Kech", acrescentou.

O Exército paquistanês enviou centenas de soldado por via aérea para ajudar os atingidos pelo pior terremoto no país do sul asiático desde 2005, quando cerca de 75 mil pessoas foram mortas por um tremor no norte do país.

O terremoto de terça-feira, com magnitude 7,7, ocorreu no Baluchistão, uma enorme província propensa a temores cheia de desertos e montanhas. O impacto do tremor foi sentido em vários pontos do sul asiático.

Casas foram destruídas e a comunicação foi cortada com o local mais atingido, Awaran. O tremor foi tão forte que provocou a formação de uma pequena ilha no mar em frente ao litoral paquistanês no mar Arábico.

Equipes de resgate enfrentaram dificuldade para chegar rapidamente ao local por ser muito remoto, e algumas autoridades disseram que o número de mortos deve aumentar à medida que os homens dos serviços de emergência conseguirem avançar pelas montanhas para verfificar os danos. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
Paquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.