Sobe para 35 o número de mortos em mina de carvão na China

Falta de segurança para extração mineral preocupa o governo

AP

11 de novembro de 2007 | 03h37

Equipes de resgate encontraram dois novos corpos em uma mina de carvão no sudoeste da China neste domingo.  Com isso, o número final de mortos com o vazamento de gás no local subiu para 35, de acordo com a mídia estatal.  Segundo a agência Xinhua, a causa do acidente na mina de Qunli, na província de Guizhou ainda está sendo investigada.  Na hora do vazamento, 86 pessoas estavam no local e 51 escaparam.  O governo chinês alertou recentemente que a indústria de mineração no país, a mais perigosa do mundo, deve sofrer mais acidentes com o aumento na produção devido ao inverno.  Em média, 13 pessoas morrem por dia nas minas chinesas, em acidentes como explosões e alagamentos apesar da  tentativa do governo de melhorar a segurança nestes locais.  Em agosto, 181 mineiros morreram quando fortes chuvas provocaram a inundação de duas minas da província de Shandong. Os donos das minas são considerados culpados em muitos destes acidentes por não levar em consideração regras de segurança. Acredita-se também que eles não investem em ventilação e equipamento contra incêndio.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaminas de carvãoacidentes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.