Sobe para 35 o número de mortos no Afeganistão

Subiu para 35 o número de mortos após um atacante suicida explodir o SUV cheio de explosivos que dirigia do lado de fora de uma clínica médica no leste do Afeganistão neste sábado. Outras 53 pessoas ficaram feridas.

AE, Agência Estado

25 de junho de 2011 | 15h02

O suicida dirigiu o SUV na direção da clínica média e os guardas locais tentaram impedi-lo de entrar no complexo, informou o diretor de saúde da província, Mohammad Zaref Nayebkhail. "O motorista não parou, entrou no complexo e chegou ao prédio principal do centro de saúde, onde detonou o veículo", disse Nayebkhail.

A força de explosão provocou o desmoronamento do prédio da clínica, deixando pelo menos 15 pessoas presas em meio aos escombros. Pessoas que estavam próximas tentavam deseperadamente retirar os escombros em busca de corpos e sobreviventes, disse ele.

Segundo Nayebkhail, a clínica havia sido recentemente ampliada para atender às necessidades de saúde das vasta população do distrito. Um helicóptero do Exército afegão foi enviado para a região levando suprimentos médicos. A aeronave também vai transportar os sobreviventes para outros hospitais, revelou Nayebkhail.

O Taleban negou a autoria do ataque. Zabiullah Mujahid, porta-voz do movimento, disse à Associated Press, em entrevista por telefone, que "este ataque não foi feito por um de nossos combatentes".

Na noite de sexta-feira outra explosão, desta vez provocada por uma bicicleta cheia de explosivos, atingiu um bazar do distrito de Khanabad, na província de Kunduz, norte do país, matando pelo menos 10 pessoas, dentre elas um policial. Pelo menos 24 pessoas ficaram feridas no ataque, segundo comunicado do Ministério do Interior.

A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) informou que um de seus soldados foi morto durante um ataque insurgentes no leste do Afeganistão neste sábado. A aliança não divulgou mais detalhes sobre a vítima. Essa morte eleva para 47 o número de soldados da Otan mortos em junho e para mais de 200 os que perderam a vida em 2011. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ataqueviolênciaApeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.