Sobe para 35 total de mortos em usina elétrica na Índia

Centenas de integrantes de equipes de resgate trabalhavam hoje à procura de cerca de 20 pessoas que devem estar presas em meio aos escombros de uma usina de energia elétrica em construção na Índia. Pelo menos 35 pessoas morreram. Não se sabe se os desaparecidos continuam vivos após o acidente ocorrido ontem, quando uma chaminé de 250 metros ruiu sobre a cafeteria da fábrica, enquanto os funcionários tomavam chá. A fábrica ainda está em construção. "Pode haver alguns sortudos", disse R.K. Vij, inspetor-geral da polícia. Não se sabe quantas pessoas estavam na cafeteria no momento do acidente, disse ele, embora cerca de 100 pessoas estivessem no local.

AE-AP, Agencia Estado

24 de setembro de 2009 | 16h24

A usina, de propriedade da Bharat Aluminum Co., ou Balco, estava sendo construída pela empresa chinesa com a ajuda da empreiteira local na cidade de Korba, cerca de 960 quilômetros ao sudeste de Nova Délhi. "Acredita-se que as contínuas chuvas e raios em Korba nos últimos dias sejam a provável razão para o incidente", disse Gunjan Gupta, executivo-chefe da Balco em comunicado. "Porém, a causa exata do incidente será determinada apenas após a investigação".

Vinte e um corpos foram recuperados hoje e 14 já haviam sido retirados do local ontem, disse o policial Vivek Sharma. Sete pessoas foram hospitalizadas com ferimentos, disse ele. As equipes de resgate, que usam guindastes e motosserras, precisarão de mais doze horas para limpar o barro e os escombros formados por grandes pedaços de concreto e aço retorcido, disse Vishwa Ranjan, diretor-geral da polícia do Estado de Chhattisgarh, onde ocorreu o acidente.

Tudo o que sabemos sobre:
Índiausinaacidentemortos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.