Akhtar Soomro/Reuters
Akhtar Soomro/Reuters

Sobe para 39 número de mortos no Paquistão

Tiroteios entre quadrilhas continuam nas ruas de Karachi ; onze mortes nas últimas horas

Efe,

10 de janeiro de 2010 | 07h14

Chegou a 39 o número de mortes por conta da onda de violência que assola a cidade de Karachi, no sul do Paquistão, sendo que 11 pessoas foram mortas nas últimas horas.

 

Uma fonte da polícia disse ao canal de televisão Geo que os tiroteios entre quadrilhas em diversos bairros da cidade continuam. De acordo com a versão da polícia, alguns dos assassinatos são em resposta às ações dos agressores. Nos últimos dias também aconteceram tiroteios entre manifestantes e as forças de segurança.

 

Cidade de aproximadamente 14 milhões de habitantes e palco constante de conflitos étnicos, em Karachi é comum a ação de quadrilhas ligadas a partidos políticos, que encomendam mortes e torturas para extorquir os adversários.

 

Entre os mortos dos últimos dias estão membros da etnia baluchi, militantes do Partido Popular do Paquistão (PPP) e de outras organizações sociais e políticas.

 

Para o ministro do Interior, Rehman Malik, a onda de violência tem como objetivo desestabilizar o Governo regional. Aproximadamente 250 pessoas morreram em Karachi vítimas de assassinatos políticos, mas a própria polícia afirma que muitas vezes não conhece as identidades dos criminosos ou suas motivações.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.