Sobe para 40 o número de mortos em explosão de mina na China

Ainda existem seis pessoas soterradas; dez pessoas responsáveis pela mina estão detidas

Efe

07 de abril de 2010 | 03h15

O número de mortos em uma explosão num poço de mineração em 31 de março na província de Henan (centro) subiu para 40, depois de encontrarem nesta terça-feira,6, outros 12 trabalhadores mortos, informou nesta quarta-feira, 7, a agência oficial de notícias Xinhua.

 

Um porta-voz dos serviços de resgate informou que cerca de 90 trabalhadores se encontravam no interior da mina, quando aconteceu a explosão, cujas causas ainda são desconhecidas. Outros 57 trabalhadores foram resgatados ilesos e seis pessoas permanecem soterradas.

 

As autoridades regionais de Henan comunicaram que a mina operava ilegalmente, já que em maio de 2009 tinha sido notificada a suspender qualquer atividade devido a uma explosão de gás.

 

A mina é propriedade da empresa privada Guomin Mining Co., que agora está sendo investigada.  O dono da mina, Wang Guozheng, não possuía sequer um registro oficial dos funcionários, o que, segundo as autoridades locais, "impede que se possam identificar mortos e desaparecidos".

 

Dez pessoas, supostamente responsáveis pelo acidente, já se encontram sob controle policial, incluindo Wang, que recebeu indulto em 2009 de uma pena de prisão à qual foi condenado por encobrir a explosão que aconteceu nesse mesmo ano.

 

Por enquanto, o incidente provocou a demissão do chefe do Partido Comunista da China (PCCh) no distrito de Yichuan e de outros três oficiais.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequimexplosõesmina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.