Pedro Nunes/Reuters
Pedro Nunes/Reuters

Sobe para 45 número de mortos por incêndios em Portugal e Espanha

Apesar das chuvas na madrugada de segunda, situação continua grave em algumas regiões

O Estado de S.Paulo

17 Outubro 2017 | 17h02

PENACOVA - A chegada da chuva e de ventos menos violentos ajudaram, nesta terça-feira, 17, os bombeiros a controlarem os incêndios florestais que deixaram ao menos 41 mortos em Portugal e quatro na Espanha. A Defesa Civil registrou também 71 feridos, 16 deles em estado grave.

+ Incêndios na região central de Portugal obrigam retirada de mais de 130 pessoas de suas casas

Portugal foi duramente afetado por incêndios pela segunda vez em quatro meses. Quase três mil bombeiros continuavam mobilizados para evitar que alguns focos fossem reativados, mas a Defesa Civil não indicou nenhum incêndio ativo "importante" desde o amanhecer. Os bombeiros foram ajudados pela chuva que caiu durante a noite. 

Na Galícia, o balanço nesta terça era de quatro mortos. Esta região no nordeste da Espanha também foi muito afetada pelos incêndios florestais que começaram no domingo, alimentados pelos ventos durante a passagem da tempestade tropical Ophelia diante das costas da península Ibérica.

Na terça de manhã, os serviços de emergência declararam o nível 2 de alerta, ativado quando o fogo ameaça casas. Nos povoados dos arredores de Penacova, 230 km ao norte de Lisboa, os moradores tentavam recuperar a vida normal.

Contexto. Em meados de junho, Portugal vivenciou o incêndio florestal mais trágico da sua história, com um balanço de 64 mortos e 250 feridos, perto de Pedrógão Grande (centro). O drama voltou a surpreender, no domingo, outras regiões arborizadas no centro e norte do país. 

Três dias de luto nacional foram decretados em Portugal a partir desta terça. Desde o início de 2017, mais de 350.000 hectares de vegetação foram devastados pelas chamas no país, número quatro vezes mais do que a média dos últimos dez anos, de acordo com o sistema europeu de informação de incêndios florestais. / AFP

Mais conteúdo sobre:
Portugal [Europa] Espanha [Europa]

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.