EFE
EFE

Sobe para 45 o número de mortos em atentado no Paquistão

Por meio de nota, grupo islâmico dissidente do Taliban assumiu a autoria do ataque

O Estado de S.Paulo

24 de junho de 2017 | 04h30

ISLAMABAD - Pelo menos 45 pessoas e outras 261 ficaram feridas em uma dupla explosão ocorrida na sexta-feira, 23, em áreas tribais no noroeste do Paquistão, segundo a ultima contagem divulgada neste sábado pelas autoridades locais. 

Segundo o porta-voz do governo regional, Farid Ullah, 13 das mortes ocorreram após os pacientes sucumbirem a feridas graves. Há 62 vítimas em estado "crítico" que foram enviadas à cidade de Peshawar, com mais recursos, enquanto 78 tiveram alta.  

Na tarde ontem, apenas duas horas antes de poder romper o jejum do mês sagrado do Ramadã, que está quase acabando, a dupla explosão com poucos minutos de diferença destruiu um mercado em Parachinar. O grupo islâmico Jamaat ur Ahrar, dissidente do Taliban, assumiu a autoria do ataque. 

Como ocorre em todos os lugares de maioria muçulmana nesses dias, os habitantes dali arrumavam os aperitivos e compravam alimentos nas lojas e bazares para celebrar o fim do Ramadã na próxima segunda. 

Apesar da violência ter diminuído no Paquistão nos últimos anos com as operações lançadas pelo Exército, as áreas tribais e o Baluchistão seguem sendo as regiões mais afetadas pela insurgência no país. 

Em fevereiro, o país iniciou uma operação militar nacional contra insurgentes. É uma continuação de outra operação lançada nas regiões tribais em junho de 2014 e com a qual o Exército assegura ter abatido 3.500 insurgentes, cifra não confirmada por outras instituições. / EFE

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.