Sobe para 48 o número de mortos por terremoto na Guatemala

Abalo foi o mais forte desde o registrado em 1976, quando mais de 25 mil pessoas morreram

Agência Efe,

08 de novembro de 2012 | 01h49

GUATEMALA - Subiu para 48 o número de mortos em razão do terremoto de magnitude 7,2 na escala Richter que sacudiu a Guatemala na quarta-feira, 7. Os dados são do último boletim oficial divulgado pelo presidente do país, Otto Pérez Molina. O abalo sísmico foi o mais forte ocorrido na Guatemala desde o registrado em 1976, quando mais de 25 mil pessoas morreram.

 

 

Em entrevista coletiva, Molina disse que desta vez 39 pessoas morreram no departamento de San Marcos, o mais afetado. O tremor também foi sentido com força em El Salvador e em regiões do sudeste do México. Outras oito pessoas morreram em Quetzaltengo e uma em Solola. Estes territórios ficam no oeste e noroeste do país. O presidente afirmou também que pelo menos 23 pessoas permanecem desaparecidas, outras 155 sofreram ferimentos e mais de 17 mil estão desabrigadas.

 

O líder do país decretou três dias de luto nacional pelas vítimas e pediu à população que retome nesta quinta-feira, 8, suas atividades normais, embora tenha esclarecido que está mantido o estado de "alerta vermelho" em nível nacional. As autoridades de Defesa Civil e as equipes de socorro suspenderam na noite de quarta-feira os trabalhos de resgate. Eles serão reiniciados na manhã desta quinta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.