Vincent Yu / AP
Vincent Yu / AP

Sobe para 51 número de mortos em ataques a mesquitas da Nova Zelândia

Nova vítima é um cidadão turco que estava internado na UTI do hospital de Christchurch, segundo a primeira-ministra do país, Jacinda Ardern.

EFE, O Estado de S.Paulo

03 de maio de 2019 | 02h12

SIDNEY - O número de mortos no atentado ocorrido em Christchurch, no mês de março, na Nova Zelândia, subiu para 51, após a morte de um dos feridos, segundo informações divulgadas nesta sexta-feira - data-local - pela primeira-ministra do país, Jacinda Ardern

A nova vítima é um cidadão turco que estava internado na UTI do hospital de Christchurch, cidade onde ocorreram os atentados, disse a governante, por meio de um comunicado. 

A primeira-ministra acrescentou que nove pessoas seguem internadas e se encontram em estado de saúde estável. 

O ataque foi atribuído ao australiano Brenton Tarrant, de 28 anos, acusado de 50 homicídios e da tentativa de homicídio de 39 pessoas após disparar à queima-roupa contra dezenas de muçulmanos que estavam no interior de duas mesquitas da cidade.

Tarrant, que não tinha antecedentes criminais, residia na cidade de Dunedin, localizada a cerca de 400 quilômetros de Christchurch, e obteve a licença de armas em novembro de 2017, após cumprir as exigências legais. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.