Sobe para 6 número de mortos com gripe aviária na China

A nova cepa da gripe aviária causou a sexta morte na China nesta sexta-feira. Autoridades agrícolas em Xangai ordenaram um abate de larga escala de aves, em um esforço para conter a propagação da doença.

Agência Estado

05 de abril de 2013 | 10h49

Um agricultor de 64 anos morreu em Hangzhou, capital da província de Zhejiang, no leste do país, após ter sido contaminado com o vírus H7N9, informou a agência oficial de notícias Xinhua nesta sexta-feira, citando o departamento de saúde local. A China confirmou um total de 14 casos de gripe aviária em todo o país, com pacientes de 4 a 87 anos.

Com o aumento dos temores com a doença no país, o governo de Xangai ordenou o abate de milhares de aves. Ainda assim, as autoridades enfatizaram não ter encontrado um caso de transmissão da doença entre seres humanos, o que tornaria a gripe mais perigosa. Os casos parecem vir de contato humano com as aves. "Até agora, não há nenhuma evidência de que o vírus H7N9 pode ser transmitido entre os seres humanos, o que nos deixa aliviados", disse Wu Fan, diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças de Xangai, em uma entrevista coletiva na sexta-feira.

Em Hong Kong, o governo informou, também nesta sexta-feira, que uma menina de 7 anos de idade, que voltou para a cidade depois de uma viagem a Xangai no fim de março, havia sido hospitalizada com febre e estava sendo testada para H7N9. O Centro de Controle de Doenças de Taiwan afirmou que estava esperando os resultados dos testes de um passageiro que tinha voado para o país vindo da China. Os controles de temperatura em aeroportos dos dois locais estão sendo reforçados como medida de precaução.

Até agora, o vírus havia sido detectado apenas em partes do leste da China ao redor de Xangai, onde a primeira contaminação foi publicamente identificada no domingo. As autoridades chinesas disseram que estão trabalhando em estreita colaboração com a Organização Mundial de Saúde, enquanto o Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos afirmou em seu site esta semana que está trabalhando no desenvolvimento de uma vacina contra o H7N9.

Autoridades de Xangai se mobilizaram hoje para reduzir a população de pássaros da cidade, ordenando o fechamento de mercados de aves por atacado e instruindo os vendedores em mercados menores a imediatamente abater os frangos restantes. As autoridades haviam proibido a venda de pombos e patos vivos a partir da manhã desta sexta, depois de descobrir o H7N9 em amostras retiradas de pombos em três diferentes mercados atacadistas. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinagripe aviáriavítimas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.