Sobe para 64 número de feridos em terremoto na Indonésia

Do total de vítimas, dez estão em estado grave; mais de 700 casas e prédios públicos foram destruídos

Efe,

13 de fevereiro de 2009 | 06h48

As autoridades da Indonésia elevaram nesta sexta-feira, 13, a 64 o número de feridos no terremoto de 7,5 graus de magnitude na escala Richter que atingiu na quinta-feira, 12, o nordeste do arquipélago, informa a imprensa local. Do total de vítimas, dez estão em estado grave e seguem sendo atendidas em diferentes centros médicos. Mais de 700 casas e prédios públicos foram destruídos, entre eles colégios e hospitais. Cerca de cinco mil pessoas abandonaram temporariamente seus lares devido às fortes réplicas de até 6,3 graus que seguem abalando a região, apesar de passadas mais de 30 horas do primeiro grande terremoto. O terremoto de 7,5 graus aconteceu na madrugada de quarta para quinta-feira e seu epicentro foi a 327 quilômetros da cidade de Manado, em Célebes, e a 323 quilômetros da cidade filipina de General Santos. Em um primeiro momento, a Indonésia alertou sobre a possibilidade de um tsunami, mas suspendeu o alarme pouco depois. Desde novembro do ano passado, a área ao norte da ilha Célebes foi atingida por uma série de terremotos de média e alta intensidade. O terremoto maior aconteceu em 18 de novembro, de 7,5 graus Richter, e deixou seis mortos, 160 feridos, 1,2 mil casas destruídas, outras 500 com imperfeições e sérios danos em infraestruturas de comunicação e transporte. A Indonésia fica sobre o Anel de Fogo do Pacífico, uma zona de grande atividade sísmica e vulcânica que é atingida por cerca de sete mil terremotos por ano, a maioria de baixa magnitude. Em 26 de dezembro de 2004, um terremoto sacudiu a ilha de Sumatra e originou um tsunami que espalhou destruição em nações banhadas pelo Oceano Índico e causou a morte de mais de 226 mil pessoas.

Tudo o que sabemos sobre:
Indonésiaterremototremor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.