Beck Diefenbach/Reuters
Beck Diefenbach/Reuters

Sobe para 7 número de mortos em faculdade na Califórnia

Segundo informações preliminares, estudante disparou contra colegas no local; ele já foi preso, diz polícia

AE,

02 de abril de 2012 | 16h04

Atualizado às 20h

 

OAKLAND - Pelo menos sete pessoas foram mortas e quatro ficaram feridas a tiros nesta segunda-feira, 2, na Universidade Oikos, uma instituição cristã no leste de Oakland, na Califórnia (EUA), em um ataque desfechado por um suspeito que foi detido mais tarde, informou a polícia local. 

A polícia não divulgou a identidade do atirador e nem os motivos para os ataques. De acordo com a Fox News, ele está sob custódia em uma sala de aula da Universidade.

Veja também:

blog BLOG DO ARQUIVO: Tragédias insanas

lista PARA LEMBRAR: Atirador matou 4 em escola judaica na França

especialESPECIAL: Relembre outros casos ocorridos em escolas

A violência começou na metade da manhã de hoje, disse o presidente da Câmara de Vereadores de Oakland, Larry Reid, que obteve informações do chefe da polícia local. A policial Johna Watson não deu detalhes sobre o suspeito detido.

Segundo informações de testemunhas que estavam no local e foram entrevistadas pela emissora CNN, o atirador seria um homem de origem asiática, alto e corpulento, na faixa dos 40 anos. A CNN disse que o atirador conseguiu fugir e foi detido mais tarde em uma loja de conveniência.

Mais cedo, algumas autoridades descreveram o atirador como um homem de origem coreana, na faixa dos 40 anos e que vestia uma roupa militar. "Só posso confirmar que detivemos uma pessoa que acreditamos pode ser a responsável pelo tiroteio", disse Watson.

O canal de televisão KTVU reportou que o atirador é um estudante da Oikos e abriu fogo na sala de aula. Canais de televisão locais mostraram cenas caóticas das proximidades da Universidade Oikos, com policiais armados entrando no edifício em busca do atirador. As imagens também mostraram vítimas ensanguentadas, que eram levadas em macas a ambulâncias.

O pastor Jong Kim, que foi um dos fundadores da universidade há dez anos, disse ao jornal Oakland Tribune que escutou cerca de 30 tiros no edifício. "Eu fiquei no meu escritório", disse.

Angie Johnson, uma aluna, disse ao jornal San Francisco Chronicle que viu uma mulher jovem saindo de uma sala de aula, com sangue no braço, e gritando "eu fui atingida, fui atingida".

A mulher ferida disse a Johnson que o atirador era um homem que primeiro atirou contra o peito de uma vítima e depois disparou contra a turma inteira. "Ela disse que ele parecia enlouquecido, durante o tempo inteiro", disse Johnson, ao citar a vítima ferida.

A porta-voz do Highland Hospital, Jerri Randrup, disse que quatro feridos foram internados na instituição. De acordo com seu website, a Universidade Oikos oferece aos estudantes cursos de teologia, música, enfermagem e medicina asiática.

As informações são da Associated Press e da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.