Sobe para 796 o número de mortes causadas pela cólera no Haiti

Mais de 12 mil pessoas já foram hospitalizadas; ONU pede US$ 163 milhões em ajuda

estadão.com.br

12 de novembro de 2010 | 15h36

Médicos voluntários tentam barrar disseminação da doença.

 

PORTO PRÍNCIPE - O Ministério da Saúde do Haiti elevou para 796 o número de mortes causadas pela onda de cólera que assola o país, segundo comunicado publicado nesta sexta-feira, 12, no site da instituição, de acordo com informações da agência de notícias AFP.

 

Veja também:

linkPerto da eleição, Haiti vive clima de insegurança

 

A nota acrescenta que de quinta para sexta foram registradas 72 mortes e que 13 óbitos do total foram registrados na capital. Além disso, o comunicado informa que já foram hospitalizadas 12.303 pessoas.

 

Desde que foram registradas as primeiras mortes por cólera no país, a cifra não parou de aumentar. Nesta sexta, a ONU pediu US$ 163 milhões para combater a doença e evitar que os esforços para conter a epidemia sejam em vão. A ONU ainda informou que aproximadamente 200 mil haitianos correm o risco de contrair a doença.

 

O problema é agravado pois 1,3 milhão de haitianos têm vivido em barracas em campos de refugiados precários, desde um violento terremoto ocorrido em janeiro, que matou 250 mil pessoas. As más condições sanitárias aumentam o risco de se contrair a doença.

Tudo o que sabemos sobre:
HaitiCóleraAmérica Central

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.