Sobe para 80 número de mortos em terremoto na China

Equipes de resgate na China tentavam desobstruir estradas neste sábado para prosseguir com as buscas por sobreviventes e apressar a chegada de ajuda à remota área montanhosa do sudoeste do país, depois que dois terremotos ontem mataram pelo menos 80 pessoas.

AE, Agência Estado

08 de setembro de 2012 | 14h53

Mais de 200 mil habitantes de vilarejos foram retirados da área, após várias casas terem sido atingidas. Os tremores começaram com um abalo de magnitude 5,6 no fim da manhã de sexta-feira, perto da fronteira entre as províncias de Guizhou e Yunnan, onde moram alguns dos habitantes mais pobres da China. Outro terremoto da mesma intensidade foi registrado cerca de 30 minutos depois, seguido de mais de 60 réplicas, segundo as agências sismológicas da China e dos Estados Unidos.

A agência de notícias Xinhua citou oficiais locais, que teriam dito que o número de mortes pode aumentar, pois os tremores danificaram seriamente as rodovias e o sistema de comunicação, tornando mais difícil coletar informações. Os danos também tornam mais lento o processo de resgate. "Estradas estão bloqueadas e as equipes de resgate tiveram que escalar montanhas para chegar a vilarejos de mais difícil acesso", disse um oficial. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
GuizhouYunnanXinhua

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.