Sobem para seis os mortos devido a réplica de tremor na China

Exército tenta explodir diques; 69 represas ficaram rachadas por causa do tremor e podem rachar

Efe

26 de maio de 2008 | 07h12

A forte réplica, com uma magnitude de 6,4 graus na escala Richter, do terremoto na China deixou pelo menos seis mortos e mil feridos, segundo as autoridades chinesas. Quatro dos mortos foram confirmados na província noroeste de Shaanxi, na fronteira com o epicentro da réplica, em Sichuan(sudoeste), e 20 feridos estão em estado muito grave na cidade de Hanzhong.Os mortos em Shaanxi estavam em um arrozal no distrito de Xixiang quando aconteceu a réplica. Até agora, mais de 65 mil pessoas morreram desde o terremoto de 8 graus na escala Richter, há 15 dias.   Veja também: Mapa da destruição na China  Entenda como acontecem os terremotos  Especial: antes de depois da tragédia   No distrito de Qingchuan (Sichuan), fronteiriço com Shaanxi e Gansu, e onde foi localizado o epicentro da réplica, uma pessoa morreu e mais de 700 ficaram feridas, enquanto nove localidades sofreram cortes em suas telecomunicações, informou a agência de notícias Xinhua.   Na cidade de Longnan, província noroeste de Gansu, outra pessoa morreu e 109 ficaram feridas, 15 delas gravemente. A vítima fatal ficou soterrada sob um desmoronamento de rochas provocado pelo forte tremor nas montanhas.   A réplica provocou o afundamento de 270.000 casas na região, que se soma aos mais de 15 milhões de casas destruídas, o que provocou a retirada de 14 milhões de pessoas. Cerca de 5,5 milhões ainda não tem um teto para dormir.O governo chinês pediu mais tendas de campanha, 3,3 milhões mais especificamente, para proteger estes milhões de pessoas que dormem ao relento durante a temporada de chuvas que começa agora no sul do país.   Ao mesmo tempo, soldados do Exército tentam explodir os diques provocados pelos tremores que bloquearam rios e afluentes até o ponto de criar mais de 30 lagos que ameaçam transbordar sobre os já devastados povoados. Outras 69 represas ficaram rachadas por causa do tremor e estão a ponto de arrebentar devido à chegada das chuvas no sul da China.

Tudo o que sabemos sobre:
Chinaterremoto

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.