Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Sobreviventes do tsunami vendem órgãos na Índia

A polícia no Estado indiano de Tamil Nadu investiga denúncias de que sobreviventes do tsunami estão vendendo os próprios órgãos no mercado negro de transplantes. Mais de dois anos depois do desastre causado pela onda gigante, alguns sobreviventes, que ainda não têm casas ou empregos permanentes, estão usando a venda dos próprios órgãos para sobreviver.Um dos exemplos é o de Lata Kala. Há dois anos, quando o tsunami destruiu comunidades em volta do Oceano Índico, o marido dela perdeu o barco de pesca e suas redes.Desesperada por dinheiro, ela vendeu o próprio rim há algumas semanas. Um hospital em Madras fez a cirurgia. Lata Kala tem uma cicatriz de cerca de 20 centímetros, com marcas de pontos. A cicatriz se estende no lado esquerdo de suas costas, acima do quadril. Ela ainda sente dores e não é capaz de permanecer sentada ou de pé por muito tempo."O médico disse que terei problemas para respirar e dores nas costas. Se eu levantar objetos pesados, ficarei sem fôlego, mas concordei em fazer, pois tenho dívidas e tenho filhos. Quem vai alimentar meus filhos?", questiona Kala.Pescadores Segundo informações da BBC, pelo menos outros 30 sobreviventes estariam esperando para vender seus rins quando o escândalo foi descoberto.Os que querem vender os órgãos são de famílias de pescadores que perderam suas casas e barcos no tsunami. O governo do Estado de Tamil Nadu prometeu que iria dar novas casas a estas famílias em um ano.No entanto, mais de mil pescadores e suas famílias ainda estão vivendo em cabanas de tijolos brancos em Tsunami Nagar, um campo construído logo depois do desastre entre uma linha de trem e uma usina de energia no norte de Madras.O campo, que seria temporário, fica a dez quilômetros do porto, longe demais para muitos pescadores irem e voltarem todos os dias para procurar trabalho.Antes mesmo do tsunami, algumas famílias pobres de pescadores já vendiam seus órgãos. ´Corretores´ Paul Sunder Singh, diretor da organização de caridade Karunalaya, afirma que a situação atual transformou os sobreviventes do tsunami em alvos mais vulneráveis para os compradores de órgãos humanos."Todos esses problemas deram oportunidades para esses ´corretores´ chegarem e seduzirem estas pessoas dizendo que eles podem ajudar algum paciente e ainda ganhar muito dinheiro", diz Singh."A algumas destas pessoas foram prometidas 100 mil rúpias (cerca de R$ 4,2 mil), a outras 50 mil rúpias (cerca de R$ 2 mil)."Muitos que venderam seus órgãos afirmam que foram enganados. Seis mulheres alegam que receberam ofertas de R$ 4,2 mil e cerca de R$ 2 mil cada por um rim, mas os ´corretores´ pagaram apenas metade.A venda de um rim pode render o equivalente a três anos de ganhos para as famílias do campo de Tsunami Nagar.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.