Socialistas confirmam diálogo com centrista Bayrou

O líder do Partido Socialista, François Hollande, afirmou nesta quinta-feira, 26, que não há negociações abertas com o centrista François Bayrou, mas "um diálogo" visando o segundo turno das eleições presidenciais."Não há negociações com a UDF ou com François, trata-se de um diálogo normal em uma República", disse Hollande, companheiro da candidata socialista, Ségolène Royal.Ségolène afirmou que está aberta a um debate com o candidato centrista, terceiro colocado no primeiro turno, no último domingo, e cujos quase sete milhões de votos parecem ser fundamentais para a vitória no segundo turno, em 6 de maio.A candidata socialista, que obteve 25,87% dos votos, disputará o Palácio do Eliseu com o conservador Nicolas Sarkozy, vencedor do primeiro turno, com 31,18%.Ségolène convidou Bayrou a participar de um fórum com a imprensa regional previsto para sexta-feira, mas o político centrista mostrou interesse em que o debate fosse televisionado.Por isso, Ségolène e Bayrou concordaram em realizar um debate televisionado no sábado, disseram assessores de Royal na quinta-feira. Os assessores de Ségolène disseram que o debate acontecerá no sábado, às 11h (6h, horário de Brasília). O Sindicato da Imprensa Diária Regional (SPQR), organizadora do fórum, se opôs à participação de Bayrou e afirmou que se trata exclusivamente de um encontro dos candidatos do segundo turno com jornalistas regionais.Ségolène deixou a impressão de que podem ter ocorrido pressões sobre o SPQR para impedir o debate dela com Bayrou."Encontraremos outra solução", disse a socialista, que assegurou que, "na França, a imprensa é livre, salvo quando sofre pressões, o que é um fato lamentável".A candidata indicou que o presidente do SPQR, que, segundo Royal, havia recebido Sarkozy esta amanhã, não poderá evitar o debate com Bayrou.Sarkozy, no entanto, descartou na quarta-feira à noite debater com Bayrou e assegurou que o único debate que deve existir antes da votação é o de 2 de maio, entre ele e Ségolène.Texto ampliado às 13:06

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.