Sogra intrometida causa divórcio na Itália

Se uma sogra insuportável é motivo de piada em qualquer lugar do mundo, agora, na Itália, pode ser oficialmente causa de divórcio. O Supremo Tribunal italiano validou uma sentença do tribunal da cidade de Vasto, região central do país, que considera legítima a separação por causa da intromissão da sogra de uma mulher na vida do casal. O Supremo não apenas considerou legal a separação, como condenou o marido a pagar à mulher uma pensão de ? 600 por mês, já que a convenceu a abandonar o emprego após o casamento. Luzio G. e Tiziana B., moradores de Vasto, localidade da província italiana de Chieti, perto de Pescara, se casaram em setembro de 1996. O casal, de pouco mais de 20 anos, teve uma filha, Laura, que contribuiu para a felicidade familiar - segundo Tiziana - até que a mãe de Luzio começou a se intrometer na sua vida. Tiziana, de 23 anos, iniciou o processo de separação depois de ficar cansada de ouvir sua sogra dizer que precisava manter a forma e precisava se maquiar "para seu marido". "Ela nunca deixou de me criticar, em todos os sentidos", disse Tiziana. Além disso, a mãe de Luzio não gostava da forma como a filha do casal era educada e, segundo Tiziana, a sogra levou um dia a menina para sua casa sem avisar, pois desejava educar a criança "melhor". A jovem esposa não encontrou apoio em seu marido, que, segundo ela, "não era capaz de se opor à mãe". Três anos após se casar, Tiziana entrou com pedido de divórcio no Tribunal de Vasto, que impôs ao marido o pagamento de uma pensão, pois considerou que a sogra foi a grande responsável pela separação. Luzio recorreu no Supremo, mas Tiziana venceu novamente e agora quer reconstruir sua vida. Luzio voltou a viver com a mãe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.